Portal de Contabilidade Obras Contábeis Legislação Guias e Modelos Cursos Downloads

Tamanho do Texto + | Tamanho do texto -

Os Principais Sinais de que sua Empresa Está em Dificuldades

Por Cléber R. Zanetti – Consultor e Sócio Fundador da ADF Consultoria

Muitas empresas vivenciam dificuldades, seja para manter o nível do capital de giro, atraso com compromissos financeiros ou continuar mantendo crédito com seus fornecedores.

Esses podem ser alguns dos vários sinais de que a empresa está com um desajuste e a caminho da crise. Seja pequena, média ou multinacional, todas estão sujeitas às intempéries financeiras.

Diversos fatores influenciam, sejam eles externos, como políticos e econômicos, ou internos, como falta de capital, má administração e estratégias erradas.

A solução muitas vezes está próxima e relativamente fácil, mas a falta de conhecimento ou de orientação correta, de um especialista, faz com que muitas empresas tomem a pior decisão e se endividem ainda mais.

Quando a empresa está passando por dificuldades, os credores já não querem mais negociar, a empresa muitas vezes precisa de carências paga pagamentos, alongamento da dívida e até descontos para uma reestruturação. Entretanto, por política padrão, em geral os credores não aceitam tais condições.

Empresários insistem em utilizar soluções paliativas e momentâneas, mas isso não reestrutura a empresa, só retarda e pode complicar a situação. A verdade é que muitos demoram para utilizar uma ferramenta como a Recuperação Judicial. 

Isso ocorre muitas vezes por falta de conhecimento, mas pode ser a única solução, trazendo fôlego e viabilizando prazos maiores aos pagamentos, ajustando o fluxo de caixa à nova capacidade financeira das empresas.

Veja abaixo os quatro principais sinais de que sua empresa precisa de um processo de Reestruturação:

1. Endividamento bancário altamente elevado e preocupante (mesmo que a empresa ainda não esteja negativada frente aos principais bancos de dados);

2. Falta de capital de giro ideal e a negativa dos Bancos em novas solicitação de novos créditos;

3. Quando fornecedores recusam novos limites e prazos por já perceberem o endividamento da empresa (mesmo com os pagamentos em dia);

4. Por fim, empresas que já estejam negativadas, com alto endividamento bancário e com fornecedores, pagamentos em atraso e extrema dificuldade financeira.

Muitas vezes a Recuperação Judicial é a única forma de manutenção das atividades da empresa.


Contabilidade | Publicações Contábeis | Cursos | Temáticas | Normas Brasileiras Contabilidade | Glossário | Resoluções CFC | Guia Fiscal | Tributação | Simples Nacional | Modelos de Contratos | Balanço Patrimonial | Legislação Contábil | Programas | Revenda e Lucre | Normas Legais | Boletim Contábil | Boletim Trabalhista | Boletim Tributário | Guia Trabalhista | Guia Tributário | Publicações Jurídicas