Portal de Contabilidade Obras Contábeis Legislação Guias e Modelos Cursos Downloads

Tamanho do Texto + | tamanho do texto -

Indicadores para empresas de contabilidade

Gilmar Duarte da Silva

Resumo:

"Se você não pode medir algo, você não pode entender.

Se você não pode entender, você não pode controlar.

Se você não pode controlar, você não pode melhorar!"

(Harrington)

Tags: medir, indicador, índices

Qual foi a inflação do ano? Quanto que a aplicação financeira está rendendo? Qual é a cotação do dólar e a taxa de juros para financiamento? E o peso da carga tributária? Necessitamos, diariamente, destas e muitas outras informações para poder tomar decisões acertadas. A gestão de uma empresa contábil não é diferente. Mensurar os processos para compreendê-los possibilita dominá-los e facilita o aperfeiçoamento.

Como tratar as medições para que a compreensão seja mais clara? Um processo amplamente adotado é a padronização de índices e/ou indicadores por atividade. Índice é a relação entre valores e medidas, e indicadores são dados estatísticos relativos a um ou a diversos processos que se deseja controlar. Ambos servem para avaliar situações atuais com anteriores ou, ainda, com outras empresas do mesmo segmento.

A contabilidade trabalha com muitos índices, como, por exemplo, IGE, CCL, LL, ILS, mas a fragilidade do processo aparece quando analisada sua aplicação na gestão da empresa contábil. Praticamente, esta considera apenas faturamento e lucro líquido. Dado esta deficiência, a Comissão de Precificação dos Serviços Contábeis – Sescap/PR (Copsec) aprovou, na reunião de julho deste ano, o estudo que visa definir indicadores e índices que orientarão os empresários contábeis.

Utilizo este artigo para conclamar os empresários da contabilidade a contribuir com sugestões, pois com este trabalho será possível melhorar a execução das tarefas e, consequentemente, a rentabilidade da empresa.

Adianto aqui, para avaliação de todos, alguns índices e indicadores que apresentarei na reunião de agosto/2012:

Índice de Custos Total Colaboradores

ICTC = custo total do colaborador/faturamento

Horas Vendidas por Colaborador

HVC = total de horas vendidas/número colaboradores

Lucro Líquido efetivo

LLe = lucro líquido apurado/faturamento

Faturamento por Colaborador

FC = faturamento/número de colaboradores

Encargo Social e Trabalhista

EST = somatório dos índices incidentes sobre o salário básico

Índice de Serviços Eventuais

ISE = faturamento eventual/faturamento dos serviços rotineiros

Índice de Gastos Fixos Indiretos

IGFI = Gastos Fixos Indiretos/Faturamento Total

Valor da hora Vendida

Gerenciar sem informações e tomar decisões sem resultados das medidas é como procurar a diferença no balanço sem ter em mãos as fichas razões, ou conciliar uma conta sem o histórico dos lançamentos. Este estudo certamente será um marco em nossa atividade, pois sairemos das trevas para encontrar a luz e enxergar a beleza das cores e a intensidade da gestão das empresas contábeis.

Gilmar Duarte da Silva é autor do livro "Honorários Contábeis. Uma solução baseada no estudo do tempo aplicado". Sugestões e críticas sobre este artigo são muito bem-vindas e poderão ser encaminhadas para o endereço gilmarduarte@dygran.com.br.

Escritórios contábeis e profissionais de contabilidade têm um dilema: quanto cobrar de seus clientes? Agora chega às suas mãos um guia prático, passo-a-passo, de como fazer este cálculo de forma adequada. Com linguagem acessível, a obra facilita ao profissional contábil determinar com máxima precisão o preço de seus serviços a clientes e potenciais clientes. Clique aqui para mais informações.


Contabilidade | Publicações Contábeis | Cursos | Temáticas | Normas Brasileiras Contabilidade | Glossário | Resoluções CFC | Guia Fiscal | Tributação | Simples Nacional | Modelos de Contratos | Balanço Patrimonial | Legislação Contábil | Programas | Revenda e Lucre | Normas Legais | Boletim Contábil | Boletim Trabalhista | Boletim Tributário | Guia Trabalhista | Guia Tributário | Publicações Jurídicas