Manual de Controladoria Empresarial

PREVINA-SE! AS TÉCNICAS MAIS USADAS PELOS FRAUDADORES

 Fonte: Manual de Controladoria Empresarial - Paulo Henrique Teixeira

1 - Furtar selo de correio;

2 - Furtar mercadorias, produtos acabados, produtos em processo e ferramentas, peças de maquinaria, matérias primas, materiais diversos, etc.;

3 - Apropriar-se das pequenas importâncias de dinheiro em caixa;

4 - Colocar na caixa pequena, cheque sem data, com datas atrasadas ou com datas antecipadas;

5 - Deixar de registrar vendas a vista em mercadorias embolsando o produto dessas vendas;

6 - Criar saldos falsos nos fundos de caixa ou das registradoras, não registrando ou registrando a menor o valor das vendas ou prestações de serviços;

7 - Superfaturar as Notas de despesas da empresa com gastos fictícios (combustíveis gastos de refeições coletivas, etc.);

8 - Malversar pagamentos recebidos de um cliente e substituí-lo por pagamento posterior desse mesmo cliente ou de outro;

9 - Emitir, embolsar pagamentos feitos por um cliente e emitir recibos em pedaço de papel comum;

10- Cobrar uma conta vencida, embolsar o dinheiro e registrar como conta incobrável;

11- Cobrar uma conta incobrável e não contabilizar;

12- Dar crédito às reclamações inverídicas contra clientes com devolução simulada de mercadorias;

13- Deixar de depositar diariamente nos bancos o apurado das vendas do dia, depositar apenas parte das vendas ou não depositar nada;

14- Alterar as datas das fichas estoques para cobrir apropriações indébitas:   

Pode Provocar Apropriações Indébitas

Falta de Controle interno;

Falta de Inspeção;

Falta de auditoria interna.

15- Depositar pelos totais arredondados, tratando de depositar o restante no final do mês;

16- Inserir pessoas fictícias nas folhas de pagamento;

17- Conservar empregados ou funcionário nas folhas de pagamento;

18- Falsificar cálculos e totais na folha de pagamento;

19- Destruir faturas de vendas de valor significativo para não serem dedicadas ao comprador;

20- Alterar faturas de vendas depois de entregar a guia do cliente;

21- Anular fatura de vendas para creditar o cliente pelo valor delas mediante falsas explicações;

22- Reter dinheiro proveniente de vendas a vista usando uma falsa conta devedora;

OBS.: Nenhuma despesa deve ser para com dinheiro e sim com cheques.

23- Registrar supostos descontos;

Ex.: a empresa está em promoção, o comprador paga a mercadoria sem o desconto e o vendedor fica com a diferença do dinheiro;

24- Aumentar o total das despesas por ocasião da contabilização (proveniente de sua contabilidade).

25- Usar cópias de documentos ou faturas já pagas.

Ex.: Quando a firma pedir as vias, deve-se fazer o seguinte: 2ª e 3ª via “sem valor como quitação” (recibo). Se houver controles internos ele irá verificar a fraude.

26- Usar documentos de gastos pessoais para cobrir com valores do caixa de numerários. -Não é fraudes de milhões, mas é fraude de pequeno e médio valor.

27- Usar novamente documento do ano anterior tirando a nota como duplicatas;

28- Usar faturas falsas e falsificar apropriações - faturas falsas com seus anexos;

29- Pagar faturas falsas em conluio com os fornecedores (para faturar) - vendedor muito amigo de fornecedor;

30- Aumentar totais de faturas em conluio com fornecedores. - aumentar no total ou no parcial. Não existindo os controles internos;

31- Carregar o débito da empresa ou entidade em compras pessoais utilizando indevidamente as ordens de compras;

32- Faturar mercadorias para beneficiar pessoal, debitando contas fictícias;

33- Despachar mercadorias para casas de um funcionário ou parente para seu próprio benefício;

34- Falsificar inventários para cobrir apropriações indébitas;

35- Utilizar adiantamentos para gastos da entidade em benefício próprio;

36- Cobrar cheques emitidos em favor da empresa.

Ex.: pessoal da cobrança com o tesoureiro combinam para fraudar a empresa.;

37- Falsificar o endosso do cheque para pagamento dos fornecedores;

38- Inserir nos registros contábeis, fichas ou fichas contendo contas ou quantidades fictícias;

39- Atrasos nas conciliações de fichas dos clientes;

40- Apresentar dados incorretos nos registros de entradas e saídas de caixa;

- dados incorretos podendo ser para mais ou para menos;

41- Lançar deliberadamente informações incorretas em quaisquer contas para disso tirar proveito;

42- Falsificar páginas de livros contábeis, de fichas ou de formulários contínuos para evitar descobertas de incorreções (fraudes);

43- Não encerrar o livro de entrada de caixa (livro, ficha ou formulário contínuo) no tempo devido;

44- Vender materiais inservíveis ou sucata e embolsar o dinheiro;

45- Vender o uso das chaves;

46- Vender o segredo do caixa forte (banco).